Dez dias atrás Nicki Minaj lançava o álbum Queen e desde então a rapper vem expondo dezenas de situações que vem acontecendo ‘por trás da câmeras’ de gravadoras/pessoas que estão tentando fazer um boicote ao recente lançamento da rapper. Após sua primeira semana de vendas o álbum Queen estreou em segundo lugar na principal parada americana de álbuns, foram 78 mil cópias puras e ao total 185 mil cópias (com streams), porém Nicki não ficou muito satisfeita com a situação (Travis ter ficado em #1) e fez algumas revelações no Twitter:

“Eu falei com o Travis na noite passada, ele sabe que não tem o álbum #1 essa semana nos Estudos Unidos. Eu conferi ás vendas dos The Carters, Kanye, Nas e outro recentes lançamentos, eu falei com Travis ontem à noite e ele disse que estava vendendo roupas e doando álbuns, a Billboard disse que vai mudar ás regras por causa disso.”

A rapper quis dizer o seguinte com a declaração acima: A pré-venda, roupas, ingressos e reversão dos streams de singles já lançados da era Queen não foram computadas para o Billboard 200 enquanto Travis Scott doou 50 MIL CÓPIAS do álbum para os fãs que comprassem maquiagem de Kylie Jenner e esses 50 mil foram somados como se fossem vendas oficiais. Nicki não está brigando com Kylie ou Travis, ela está sendo uma das poucas pessoas nessa indústria que tem coragem de falar a dificuldade que uma mulher passa nesse mundo dos negócios que é dominado por homens! Após isso, a rapper revelou outro boicote, agora vindo do Spotify:

O Spotify colocou a cara do Drake em TODAS as playlists (quando ele lançou o Scorpions) mas disseram que iriam me dar uma lição por eu ter tocado minha música 10 minutos antes do lançamento na Queen Rádio mesmo que eles tenham dando minha música gratuitamente por anos, eu sou uma das artistas mais ouvidas de todos os tempos no Spotify. Meu álbum estava disponível na Apple Music então eu toquei (na rádio), eu esperava que também estivesse no Spotify e Tidal no mesmo tempo mas o Spotify disse que a Apple estava postando para os fãs ouvirem o álbum antes lá então eles decidiram que iriam me ensinar uma lição por isso. A minha gravadora preferiu não me defender com medo do Spotify também tentar ensinar uma lição para a Ariana (pois alguns dias após o Queen o álbum de Ariana foi lançado e elas fazem parte da Republic). Vocês sabem quantas mulheres são sistematicamente excluídas de suas posições num prédio cheio de escritórios (se referindo a aos escritórios das gravadoras etc) e não podem revidar??

Explicando em outras palavras, o Spotify boicotou o Queen na plataforma só por raiva da Nicki estar com seu programa de rádio (Queen Rádio) na Apple Music (rival declarada do Spotify), a forma deles fazerem o boicote foi deixando praticamente TODAS músicas do álbum de fora das maiores playlists do aplicativo, sendo que quando Drake lançou seu álbum e teve grande investimento da Apple Music o Spotify ainda assim colocou o rapper como capa de praticamente todas as playlists da plataforma (até em playlist goslpel???). Nicki ainda aproveitou para ressaltar que não teve apoio de sua gravadora em lutar contra o boicote pois eles estavam preocupados que o Spotify fizesse o mesmo que fez com a rapper no lançamento do Sweetner, de Ariana Grande.

 

Muitos estão zoando Nicki por causa dos tweets, dizendo que isso é um desespero só por ela não ter chegado ao primeiro lugar, mas entendam outra coisa: Nicki fala a verdade, ela diz as coisas como elas realmente são, em 2014 Nicki Minaj foi o principal nome por trás de uma ação judicial contra todas plataformas de stream que visou ajudar TODOS OS ARTISTAS a receberem remuneração por suas músicas em plataformas de stream (pois até então, ninguém recebia nada por isso). Então hoje, se seu ídolo está no topo das paradas por causa dos milhões de streams que recebe nas plataformas, agradeça Nicki Minaj, ela foi uma das poucas pessoas que botaram a cara a tapa e lutou publicamente sobre isso.